domingo, 1 de maio de 2016

FALANDO EM DÍVIDAS EXTERNAS DO BRASIL
Dívida Externa Brasileira, atualmente, é a segunda maior entre os países subdesenvolvidos. Ela divide-se em dívida pública e dívida privada. No final do ano de 2012, a dívida externa brasileira alcançou o valor de 312,8 bilhões de dólares, um crescimento de 6,24% em relação ao ano anterior.
A sua origem vem da Independência do Brasil, mas foi durante a ditadura, entre as décadas de 1960 e 1980, que a dívida deu o seu maior salto. Antes do Golpe de 1964, a dívida externa no Brasil era de 12 bilhões de dólares e, ao final da ditadura, ela já atingia a casa dos 280 bilhões. A dívida se estabilizou somente depois dos governos FHC e Lula.
Durante o ano de 2008, muito se falou sobre o fim da dívida externa. Entretanto, ela continua existindo. O que houve, na verdade, foi uma má interpretação da seguinte frase: “o Brasil deixou de ser um país devedor para ser tornar um país credor”. Isso quer dizer apenas que as reservas internacionais, pela primeira vez, tornaram-se maiores que a dívida externa brasileira.
E o Brasil não poderia simplesmente pagar a dívida externa usando essas reservas internacionais?
Esse seria um procedimento muito arriscado, uma vez que as reservas internacionais são sempre utilizadas para socorrer a economia em tempos de crise. Em outras palavras, caso houvesse uma nova crise, o país não conseguiria sobreviver sem as suas reservas internacionais. Além disso, existe uma imposição do FMI (Fundo Monetário Internacional que gere as dívidas externas) de não aceitação do pagamento total da dívida externa de uma só vez
Projetos que devem custar mais de R$ 297 bilhões
Brasil, do Blog de toninho Moré
A Operação Lava Jato investiga há 25 meses um esquema de corrupção envolvendo políticos, empresas e algumas das maiores obras do país. Mais de 20 grandes projetos já foram citados em denúncias ou delações. A maior parte deles acumula atrasos em sua execução e aumentos sucessivos de custo.
O UOL levantou o andamento e o orçamento de 19 obras ligadas à Lava Jato. Verificou que o custo delas, juntas, aumentou pelo menos R$ 162 bilhões. Já o maior atraso em execução é de oito anos.
Vale lembrar que essas mudanças não têm necessariamente relação com corrupção ou superfaturamento das obras. Os aumentos e os adiamentos são, em grande parte, justificados por mudanças ou adaptações corriqueiras feitas nos projetos.
A diferença nos preços, contudo, é expressiva. Na média, o custo desses 19 projetos citados na Lava Jato e incluídos no levantamento do UOL aumentou mais de 120%. Ou seja, o preço deles mais que dobrou.
Quando foram anunciados pelo governo ou empresas, esses projetos custavam juntos R$ 134,7 bilhões. O orçamento mais recente das obras aponta que elas consumirão mais de R$ 297 bilhões.
1 de maio de 2016 
Jovem mata outro a facadas em MS por ciúmes e é preso, afirma polícia
Postado por Jessica Silva

Um jovem de 27 anos foi preso na tarde deste sábado (30), no Centro de Ribas do Rio Pardo,  município distante 84 quilômetros da capital de Mato Grosso do Sul,  por suspeita de matar um homem de 29 anos. Segundo a polícia, o crime teria sido motivado por ciúmes.
Conforme o registro policial, testemunhas descreveram o suspeito que foi encontrado sem os sapatos e com ferimentos nos joelhos e braço direito. quando foi abordado, não resistiu e teria confessado o crime de imediato. O jovem disse à polícia que teria cometido o crime por ciúmes depois da vítima ter agredido com dois socos.
O suspeito teria invadido a casa da vítima e com uma faca de 22 centímetros teria desferido um golpe no tórax do jovem. Depois disso, fugiu do local e buscou refúgio na casa de um colega de serviço. Ele também indicou o local onde jogou a faca.
Durante a elaboração do boletim de ocorrência, dois primos apareceram na delegacia afirmando estar junto da vítima no momento do crime. Eles se comprometeram a prestar esclarecimentos como testemunhas. O caso foi registrado como morte a esclarecer.

Homem tenta engolir droga que revenderia, mas acaba preso pela PM

Suspeito afirmou que pedras de crack seriam fracionadas e revendidas.
Indivíduo foi abordado na Vila Líder, em Presidente Prudente.

Do G1 Presidente Prudente
Pedras de crack seriam fracionadas e revendidas (Foto: Polícia Militar/Cedida)Pedras de crack seriam fracionadas e revendidas
(Foto: Polícia Militar/Cedida)
Um homem, que não teve a idade divulgada, acabou detido na madrugada deste domingo (1º) após ser flagrado pela Polícia Militar com porções de crack. O caso foi registrado na Vila Líder, em Presidente Prudente.

Conforme informações da corporação, uma equipe de Força Tática patrulhava pela localidade quando avistou um indivíduo que, ao ver a viatura, tentou “engolir algo”. Com a ação, os policiais interceptaram o suspeito.

Quando o “objeto” foi averiguado, a PM constatou que se tratava de duas pedras brutas de crack embaladas em plástico, ainda segundo a polícia. Ao ser questionado, o suspeito relatou que a droga foi comprada de uma “pessoa desconhecida” por R$ 200 pelo entorpecente. O objetivo era fracionar e revender.

A ocorrência foi apresentada na Delegacia Participativa de Presidente Prudente.

Mulher é vítima de roubo em Nova Andradina

Da Redação
Imagens: Jornal da Nova

Fato registrado na Delegacia de Polícia - Foto : Jornal da Nova
Uma mulher de 43 anos, foi assaltada na madrugada deste domingo (1), por volta das 5h20, próximo da escola Adventista, em Nova Andradina. Segundo ela, foi abordada por um indivíduo de bicicleta. 

Conforme a mulher relatou à polícia, ela seguia para a residência de sua filha, quando, foi abordada por um jovem de bicicleta e blusa vermelha com capuz.

Durante a abordagem ele anunciou o assalto dizendo: “Perdeu, perdeu, passa a bolsa e não liga para polícia senão vou te matar”.

Sem reagir e amedrontada, a vítima entregou a bolsa com, seu celular, cartões bancários e seus pertences, em seguida o assaltante fugiu. O fato foi registrado como roubo na Delegacia de Polícia.

Furto de fios de transformadores interrompe fornecimento de água

Três bairros de Martinópolis ficaram sem abastecimento neste sábado (30).
Daem precisou emprestar equipamentos para resolver o problema.

Do G1 Presidente Prudente
Transformadores foram furtados em Martinópolis (Foto: Guarda Municipal/Cedida)Fios de cobre dos transformadores foram furtados em Martinópolis (Foto: Guarda Municipal/Cedida)









O furto de fiações de cobre de dois transformadores de 75 kilovoltampere (kVA), cada um, na madrugada deste sábado (30), interferiu no fornecimento de água de alguns bairros emMartinópolis. De acordo com as informações da Guarda Municipal, os equipamentos danificados eram responsáveis pelo funcionamento de poços artesianos.
Conforme o registro, por volta das 9h deste sábado (30), a Guarda Municipal foi acionada para comparecer na Rua Moacir Salles, onde há poços artesianos, pois o local teria sido alvo de furto e dano.
Transformadores foram furtados em Martinópolis (Foto: Guarda Municipal/Cedida)Indivíduos invadiram o local na madrugada deste
sábado (30) (Foto: Guarda Municipal/Cedida)
Um representante do Departamento de Água e Esgoto de Martinópolis (Daem) afirmou à Polícia Militar e à Guarda Municipal que “indivíduos desconhecidos haviam derrubado dois transformadores que eram utilizados para o funcionamento de poços artesianos, comprometendo, assim, a distribuição de água na cidade”.
O funcionário do Daem ainda ressaltou, segundo o documento, que “uma porta da sala de tratamento de cloro e flúor havia sido danificada, além de vários fios, de alta e baixa tensões, que haviam sido cortados”.
A Guarda Municipal ressaltou que para cometer o furto dos fios de cobre, os indivíduos cortaram o alambrado que protegia o local. Um Boletim de Ocorrência de furto e dano foi registrado na Delegacia da Polícia Civil da cidade.  A perícia foi acionada.

Situação de trabalho escravo volta a ser apurada no Oeste Paulista

Problema, que estava zerado, tem quatros processos instaurados em 2016.
Uma das denúncias trata de jornadas que chegam a 27 horas.

Stephanie FonsecaDo G1 Presidente Prudente
Ministério apura denúncias de possível trabalho escravo no Oeste Paulista (Foto: Arquivo/G1)MPT apura denúncias de possíveis situações de trabalho escravo no Oeste Paulista (Foto: Arquivo/G1)









Depois de passar 2015 zerada, a região de Presidente Prudente voltou a ter denúncias de trabalho escravo neste ano. Já foram quatro processos instaurados, conforme dados do Ministério Público do Trabalho (MPT). O número de ações trabalhistas instauradas pelo MPT chega a 176 nos primeiros quatro meses de 2016 (soma até o dia 26 de abril). O total corresponde a 24% dos dados no ano passado, com 731 inquéritos.

Dois casos, que estão em fase de investigação e ainda sem conclusão, reclamam de problemas em áreas de construção civil, cujas ações foram protocoladas em Presidente Prudente. Conforme situado em uma das apreciações prévias disponibilizadas pelo MPT ao G1, entre as irregularidades que devem ser apuradas, estão: alojamento sem cama, onde possui apenas colchões levados pelos próprios trabalhadores; pagamento feito em parcelas; não recebimento de vale-alimentação e cesta básica; e jornada superior a 12 horas, havendo funcionários que “trabalham 25 a 27 horas direto”.

Já na segunda apreciação, as “condições degradantes” narradas são: alojamentos precários, jornadas extenuantes e ausência de banheiro nos locais de trabalho. O denunciante relata que foi admitido em 2013 e dispensado no ano seguinte.
Desde quinta-feira (17), trabalhadores rurais estão acampados em frente à usina em Flórida Paulista (Foto: Beth Gohara/Cedida)Trabalhadores rurais ficaram acampados em frente
à usina em Flórida Paulista
(Foto: Beth Gohara/Cedida)
Outro caso é relacionado a uma usina de cana-de-açúcar em Flórida Paulista, denunciado pelo Sindicato dos Trabalhadores Rurais do município como “escravidão total”. Em março,G1 conversou com trabalhadores que relataram más condições de serviço. Além disso, os trabalhadores, naturais do Nordeste do país, precisaram voltar à região de origem no prejuízo.

Na ocasião, a presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Flórida Paulista, Roseli Carlos de Melo Esposo, relatou que havia 200 trabalhadores acampados, que dormiam no chão e não tinham água sequer para o banho. Também era escassa a alimentação, já que “estavam comendo apenas pão seco”, conforme destacou a responsável pelo sindicato.

Já o quarto inquérito era contra uma loja de carros e dizia respeito a um possível trabalho escravo por jornada abusiva e condições degradantes, no entanto, “foi arquivado por falta de interesses tuteláveis do MPT”, conforme informou o Ministério Público do Trabalho ao G1.

sábado, 30 de abril de 2016


FALTOU "ENERGISA"?
EM TEMPO: sabemos que a manutenção 
da iluminação pública é da prefeitura, 
não da ENERGISA. 


Desde anteontem (28) até nesta noite de 30 de abril de 2016, os postes
de iluminação das quadras 12 e 13 da Rua Guanabara, na Vila Maria,
estão com as luzes apagadas. É um fato inédito! 


Preço da vacina contra H1N1 pode ter 


diferença de mais de 85%

De Daniela Niero
Ontem pela manhã, para bem informar os leitores deste espaço, liguei para três estabelecimentos que fazem a aplicação da vacina contra o vírus H1N1. Na primeira ligação, fui informada de que o valor cobrado é de R$ 45 e o produto chega em meados de maio. No segundo local, há vacinas, mas o custo é de R$ 80. No terceiro, o valor é de R$ 80, já acabou o primeiro lote e outro deve estar chegando. Portanto, caso você e seus filhos não estejam no grupo a ser imunizado pelo Governo Federal e queiram se prevenir, vale a pesquisa. Fica a dica!
Só para lembrar, o número de vacinas vai atingir cinquenta milhões de brasileiros. É só multiplicar por R$ 80,00.(oitenta reais) para saber quanto vai custar! Seria a indústria da SAÚDE?!

Em menos de três horas, vacinas contra H1N1 acabam em Panorama

Município recebeu 1.050 doses, número referente a 20% do público-alvo. 
Em Osvaldo Cruz, quantidade de medicamento também não foi suficiente.

Mariane PeresDo G1 Presidente Prudente
Vacina contra H1N1 pode custar de R$ 80 a R$ 130 em Cuiabá, diz Procon (Foto: Meneguini/GCom-MT)Número de vacinas contra H1N1 não foi o
suficiente para duas cidades da região
(Foto: Meneguini/GCom-MT)
Neste sábado (30), foi realizado o primeiro dia da campanha de vacinação contra o vírus H1N1 nos postos de saúde do Oeste Paulista. A expectativa era de que a imunização durasse cerca de oito horas, entretanto, em Panorama, em menos de três horas as doses acabaram. De acordo com o diretor de saúde, Gustavo Benetti Braga, o município recebeu 1.050 vacinas, quantidade referente a 20% do público-alvo, que é formado por 5.250 pessoas.
Nesta primeira fase da vacinação, conforme o diretor de saúde, o medicamento gratuito foi disponibilizado para aos idosos, crianças de seis meses a cinco anos, gestantes, mulheres que tiveram filhos nos últimos 35 dias e profissionais da área da saúde. “Nós solicitamos o máximo de doses possíveis para atender as necessidades de todos, porém, a Vigilância Epidemiológica do Estado de São Paulo não enviou o número suficiente”, afirmou.
Ainda segundo ele, na próxima segunda-feira (2), o município entrará em contato com o órgão para solicitar mais doses. “Eles alegaram que na próxima quarta-feira [4], é possível que o medicamento já seja recebido, para que possamos dar continuidade a campanha e imunizar as pessoas que faltam”, disse.
Como não houve vacinas o suficiente, os postos de saúde tiveram que encerrar o expediente antes do esperado. “A intenção era de que a campanha tivesse início às 8h com encerramento às 16h, entretanto, por volta das 11h já tivemos que fechar”, ressaltou.
O diretor de saúde de Panorama alegou que a cidade tomará as providências necessárias para que seja cumprida a meta de vacinação. “Nós vamos lutar para conseguir as doses que faltaram, pois não sabíamos que o número recebido não iria suprir a necessidade. Percebemos que a população está preocupada com a situação e focada na causa. Todos que faziam parte desse público-alvo procuraram os postos de saúde, mas, infelizmente, apenas aqueles que chegaram mais cedo conseguiram tomar a vacina”, lamentou.
Osvaldo Cruz
Em Osvaldo Cruz, as doses da vacina contra o vírus H1N1 também não foram suficientes para imunizar todas as pessoas que fazem parte deste primeiro grupo do público-alvo. De acordo com a secretária de Saúde do município, Ivete Conca, os medicamentos acabaram por volta das 13h deste sábado (30).

"O município recebeu 2.600 doses, sendo que o grupo prioritário previsto era de 7.686", ressaltou.
Segundo Ivete, como a campanha segue até o dia 20 de maio, ela deverá ir à Diretoria Regional de Saúde de Marília (SP) nesta segunda-feira (2) para tentar obter mais doses da vacina para Osvaldo Cruz.

Abono dos administrativos da educação será pago no dia 1 de junho

Da Assessoria da Nova

Reunião entre Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul) e Governo do Estado realizada no último dia 25 de abril definiu o abono salarial de R$ 200 para os servidores administrativos estaduais.

A categoria está há 18 meses sem receber um reajuste salarial e o abono foi oferecido pelo governo, a princípio, sem ser incorporado ao salário dos administrativos. Pelos cálculos da Fetems, o valor do abono significará um reajuste de 14% a 19% no salário da grande maioria dos 6700 administrativos da educação.

Segundo a proposta aprovada por unanimidade pelos trabalhadores em assembleia geral, o abono deveria ser pago a partir deste mês de abril. No entanto, como não há tempo para implantar este reajuste na folha de pagamento para que os trabalhadores recebam a partir de maio ficou estabelecido que o pagamento será efetuado no dia 01 de junho. Portanto, na folha de junho será depositado o retroativo ao mês de abril e maio ficando um valor de R$400,00 para receber nesta data. Nos meses seguintes, o valor recebido será de R$ 200.

Vale salientar, que neste abono não será descontado os 11% da AGEPREV, 6% da Cassems, 6% do vale transporte e 2% do sindicato, sendo cobrado apenas o imposto de renda para quem atingir o teto mínimo.

Com relação a incorporação aos salários, este item da pauta entra nas negociações da reforma do Estatuto e Carreira que está sendo negociado pela Fetems desde o ano passado.  Até o mês de setembro deste ano de 2016, a Fetems espera concluir as pautas da reforma do Estatuto, Carreira e Incorporação.

Incorporação do abono aos salários
Segundo a secretaria de funcionários administrativos, este abono só será contado para gerar margem de consignação quando for incorporado. Os descontos do Sindicato, Cassems, AGEPREV e Vale Transporte também serão descontados somente quando o abono for incorporado no Subsídio.
30 de abril de 2016 
Pintor morre ao cair de 6 metros de altura em MS
Postado por Jessica Silva

Local do acidente(Foto: Rio Brilhante News)
Odenir Martines Cordobal, (37), conhecido como Tim, morador na rua José Candido Rocha, morreu na tarde desta sexta-feira, (29), depois de cair de uma altura de 6 metros enquanto pintava  a parede de uma casa localizada na Avenida Lourival Barbosa, Bairro Progresso em Rio Brilhante.

Segundo o boletim de ocorrência registrado por Vitor de Souza Machado, (41), o Mineiro que é o proprietário da casa, hoje Odenir teria perguntado se ele não se interessava em pintar as paredes externas do seu estabelecimento comercial (Lanchonete). Mineiro informa que aceitou e então a vitima começou a pintar por volta das 12h.

Sendo que por volta das 15h30min Odenir caiu de uma altura de 6 metros, mesmo socorrido ao Hospital local o pintor já chegou ao pronto socorro sem vida. O corpo da vítima foi encaminhado para o IML (Instituto Médico Legal) de Dourados.

O caso foi registrado como morte a esclarecer.

Manifestantes fazem ato contra o impeachment em Presidente Prudente

Organização divulgou a presença de 200 pessoas, mas a PM contou 100.
Grupo percorreu em passeata o Calçadão do Centro, neste sábado (30).

Gelson NettoDo G1 Presidente Prudente
Manifestantes percorreram o Calçadão do Centro de Presidente Prudente (Foto: Gelson Netto/G1)Manifestantes percorreram o Calçadão do Centro de Presidente Prudente (Foto: Gelson Netto/G1

Manifestantes contra o impeachment de Dilma Rousseff fizeram passeata no Centro de Presidente Prudente neste sábado (30) (Foto: Gelson Netto/G1)Manifestantes contra o impeachment de Dilma Rousseff fizeram passeata no Centro de Presidente Prudente neste sábado (30) (Foto: Gelson Netto/G1)
Integrantes da Frente Brasil Popular realizaram na manhã deste sábado (30) um ato em defesa da presidente Dilma Rousseff (PT) no Centro de Presidente Prudente. Eles se concentraram na Praça Nove de Julho e depois seguiram em passeata pelo Calçadão da Rua Tenente Nicolau Maffei, com faixas, cartazes, discursos e palavras de ordem contra o processo de impeachment da presidente.
Grupo se concentrou na Praça Nove de Julho (Foto: Gelson Netto/G1)Grupo se concentrou na Praça Nove de Julho
(Foto: Gelson Netto/G1)
Segundo os organizadores, a manifestação contou com a participação de 200 pessoas. Já para a Polícia Militar, havia 100 manifestantes no ato, que também lembrou a comemoração do Dia do Trabalho, neste domingo (1º).
Segundo o presidente do Diretório Municipal do Partido dos Trabalhadores (PT), Adelino Ferreira, o ato serviu para alertar a população sobre a preocupação com os riscos de perda de direitos sociais e trabalhistas a partir do processo de impeachment.
“Estamos lutando e resistindo contra o golpe que está sendo encaminhado. Dialogando, no corpo a corpo, buscamos a conscientização da população. O dia 1º de maio é uma data histórica, que marca a luta pelos direitos dos trabalhadores. Nos últimos anos, tivemos avanços para os trabalhadores, como a recuperação do salário mínimo. Precisamos manter isso e avançar. Estamos na rua para resistir. Mesmo com o golpe, vamos continuar na rua para a resistência. Não podemos retroceder”, afirmou Ferreira ao G1.
Grupo se concentrou na Praça Nove de Julho (Foto: Gelson Netto/G1)Grupo se concentrou na Praça Nove de Julho
(Foto: Gelson Netto/G1)
“O que mais assombra a classe trabalhadora neste momento é a questão da terceirização da mão de obra, que está em vias de ser votada no Congresso. Os direitos trabalhistas estão em risco. Existe um risco de retrocesso nos direitos da CLT [Consolidação das Leis do Trabalho]”, disse ao G1 a coordenadora regional da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Ana Lúcia de Mattos Flores, que também preside o Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal de Presidente Prudente e Região (Sintrapp).
O ato reuniu representantes de partidos políticos, centrais sindicais, sindicatos e movimentos sociais, que distribuíram à população panfletos com dizeres em defesa da democracia e dos direitos sociais e trabalhistas.